Na Austrália, ativistas LGBT ameaçam incendiar igreja caso se oponha ao casamento gay

A Igreja da Comunidade Bellbowrie foi ameaçada após expor uma placa que dizia que 'Deus criou o casamento entre um homem e uma mulher'

"Deus criou o casamento entre um homem e uma mulher", dizia a placa do lado de fora da Igreja da Comunidade Bellbowrie, em Brisbane, Austrália. (Foto: Daily Mail)
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Uma igreja evangélica da Austrália foi ameaçada com um incêndio criminoso por ativistas dos direitos dos homossexuais, depois de exibir uma placa dizendo: “Deus criou o casamento entre um homem e uma mulher”.

Em meio a uma votação que está provando ser um referendo postal divisório sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo que se concluirá no dia 7 de novembro, a Igreja da Comunidade Bellbowrie, em Brisbane, foi vítima de ameaças e ataques nas mídias sociais após exibir a mensagem em seu quadro de avisos, do lado de fora do templo.

Assine o Blesss
Assine o Blesss

O pastor sênior, John Gill, disse ao Daily Mail Australia: “No Facebook, muitas vezes as coisas se tornaram bastante perversas. Quero dizer, fisicamente ameaçadoras. Isso tem sido assustador para alguns na igreja”.

Ele acrescentou: “Um dos comentários que vi, por exemplo, foi uma sugestão de que as pessoas deveriam derramar petróleo e incendiaram a igreja”.

Separadamente, um morador de Brisbane, Patrick Wood, argumentou que o outdoor promocional que apoiava o casamento entre homem e mulher contradiz o outro quadro de avisos da igreja, que diz: “Todas as pessoas são bem-vindas e respeitadas aqui”.

Ele escreveu no Facebook: “Sua casa, suas regras hipócritas. A mesma placa, no mesmo dia, lados opostos. Não vou esquecer a posição de igualdade matrimonial”.

Gill disse que está preocupado com a liberdade religiosa, mesmo que isto seja um direito constitucional.

“No momento, sabemos que temos essa liberdade, mas, certamente, na prática, temos grandes preocupações sobre se continuaremos a ter essa liberdade ou não”, disse ele.

O site ‘Quest Community News’ citou Gill, dizendo que sua congregação é livre para votar no plebiscito, conforme suas próprias opiniões.

“Como pastor, não é meu lugar dizer às pessoas como votar”, disse o pastor.

“Muitos de nós temos amigos e familiares que são homossexuais, e é absurdo pensar que os odiamos. Nós os amamos muito. É possível manter visões diferentes, mas ainda assim amar as pessoas. Portanto, isso não precisa ser uma fonte de divisão em toda a Austrália. Podemos diferir, mas continuar a respeitar e cuidar uns dos outros e deixar a votação determinar a questão”, acrescentou.

No final de semana, o painel da igreja de Bellbowrie foi vandalizado e adulterado para dizer: “Deus criou o casamento entre um homem e um homem”.

Uma postagem no Facebook disse: “Espero que existam igrejas na área que atendam a TODOS os cristãos e não apenas aqueles que se encaixam na visão estreita da ‘Igreja de Deus’. Tenho certeza de que Cristo ficaria muito desapontado com sua visão do cristianismo”.

Outra mulher escreveu: “Um grupo de mentalidade fechada que discrimina abertamente os membros da nossa comunidade e sua busca (muito razoável) pela igualdade do casamento”.

Cartoons de casais do mesmo sexo e marinheiros que acenam bandeiras do arco-íris foram postados nos comentários sob mensagens não relacionadas pela igreja. Todos os comentários sobre a questão mais tarde desapareceram do site.

O Daily Mail citou um professor da Costa Central de Nova Gales do Sul, em oposição ao casamento gay, que disse que os outdoors da igreja eram consistentes com os ensinamentos cristãos.

“Isso não é uma contradição. Está perfeitamente em ordem e reflete nossa conduta cristã: a aceitação de indivíduos, independentemente, mantendo a santidade do casamento e simultaneamente rejeitando o casamento gay e suas ramificações “, disse ele.

Por: Gomes Silva
Redação: Consciência Cristã News
Fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook