Associação de Pastores da PB aponta os problemas que afetam à nação

A APEP promete acompanhar, com mais cuidado e mais proximidade, o trabalho das autoridades constituídas, oferecendo-lhes o apoio que se fizer necessário, quando os projetos visarem ao bem social, bem como fazendo as cobranças necessárias quando essas atividades estiverem se desviando de suas funções essenciais

De acordo com o presidente da APEP, Robert França Corte Real, a comunidade evangélica tem procurado se envolver com a formação espiritual e cidadã da nação, no respeito às suas leis, na prática da justiça, na busca pela santidade e na proclamação das verdades do Evangelho [Foto: Google Imagens]
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

A Associação de Pastores Evangélicos da Paraíba (APEP) lançou uma Carta à Nação brasileira expressando a preocupação dos líderes evangélicos com os rumos para os quais ela está sendo impulsionada por uma política completamente dissociada do bem comum e do desenvolvimento para todos.

Assinada pelo presidente executivo, Robert França Corte Real, e pelo secretário executivo, Fausto Filho Ribeiro, a Carta à Nação traz à tona fatores que estão negativando as ações governamentais e sociais de alguns grupos que tentam impor o que não é condizente com um país cuja maioria da população segue principais judaicos cristãos.

Assine o Blesss
Assine o Blesss

A carta lembra a taxa de divórcio que é alarmante, tendo crescido cerca de 160% na última década, numa notória desestruturação da Família, especialmente, na aprovação de leis que interferem na manutenção da mesma; a interferência do governo nas áreas de sexualidade, formação familiar e crenças, além da expressiva presença da “ideologização” em detrimento da “reflexão” nas universidades públicas.

A missiva destaca ainda as taxas de homicídio, suicídio, tráfico humano, exploração sexual e a extrema pobreza continuam apresentando índices preocupantes; e lamenta que o tráfico de drogas tenha conseguido se impor como um poder à parte em nossa nação, levando destruição, insegurança e elevando o índice de mortalidade, especialmente, entre adolescentes e jovens.

Carta à Nação (íntegra)

CONSIDERAÇÕES INTRODUTÓRIAS

  • Olhando para a história recente de nossa nação,  fazemos uma leitura triste dos rumos para os quais ela está sendo impulsionada por uma política completamente dissociada do bem comum e do desenvolvimento para todos.
  • Com preocupação e pesar, como cidadãos brasileiros, CONSIDERANDO:

a) Que a taxa de divórcio é alarmante, tendo crescido cerca de 160% na última década, numa notória desestruturação da Família, especialmente, na aprovação de leis que interferem na manutenção da mesma;

b) Que os nossos índices de desenvolvimentos sociais e educacionais estão em níveis vergonhosos, nos quais há um reconhecido caos na educação da nação, inclusive com a interferência do governo nas áreas de sexualidade, formação familiar e crenças, além da expressiva presença da “ideologização” em detrimento da “reflexão” nas universidades públicas;

c) Que o número de mães solteiras já ultrapassa os 20 milhões, representando cerca de 31% do total das mães do Brasil;

d) Que, no que diz respeito às crianças e adolescentes de nossa nação, observa-se que o trabalho infantil tem apontado para o alarmante número de 2,7 milhões de crianças e adolescentes, além do crescente número apresentado pelos órgãos de pesquisa quanto à exploração sexual das mesmas;

e) Que as taxas de homicídio, suicídio, tráfico humano, exploração sexual e a extrema pobreza continuam apresentando índices preocupantes;

f) Que o tráfico de drogas conseguiu se impor como um poder à parte em nossa nação, levando destruição, insegurança e elevando o índice de mortalidade, especialmente, entre adolescentes e jovens;

g) Que a corrupção no país atingiu níveis estratosféricos, sendo que, de acordo com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), o custo médio da corrupção no Brasil custa até 2,3% do PIB, ou seja, da ordem de até R$ 144 bilhões/ano, considerando o PIB de 2016;

h) Que de acordo com o índice de corrupção do Fórum Econômico Mundial, o Brasil consta como a quarta nação mais corrupta do mundo. Ao que parece, tudo no Brasil é feito com o objetivo de se obter vantagens indevidas e/ou para espoliar o patrimônio e as finanças públicas;

i) Que temos um sistema jurídico emperrado que empurra para o tempo do nunca as decisões, facilitando a impunidade e a prescrição de crimes;

j) Que temos 35 partidos políticos registrados no Tribunal Superior Eleitoral, a maior parte deles sem uma ideologia definida e sem interferência direta nas questões políticas da sociedade;

k) Que são notórias as dificuldades de comportamento das autoridades brasileiras, como a falta de comprometimento dos mesmos com os princípios éticos e morais, uma constante inobservância dos valores constitucionais das Leis do país, e sérias dificuldades em resistir ao apelo da constante ação corruptora nesta nação;

l) Que há um progressivo aumento da violência urbana, que já está presente em todas as áreas do comportamento humano;

m) Que tem sido observado, nos últimos anos, o incessante drama familiar de milhares de pessoas sem assistência adequada na área de saúde;

n) Que é notória a permanente degradação de nosso Meio Ambiente com a poluição das águas e da atmosfera, o desmatamento das florestas, entre outros, comprometendo a nossa qualidade de vida e das futuras gerações;

o) Que é preocupante o crescente número de desempregados em nossa nação nos últimos anos, chegando a uma anunciada cifra de 14 milhões de pessoas;

  • Diante das realidades expostas, no nosso direito político, como cidadãos brasileiros, nos ressentimos com a crescente desestrutura social e com as perversidades praticadas pelos nossos representantes, em todas as esferas do poder público, seja ela municipal, estadual ou federal. Assim, estupefatos com os níveis alarmantes de corrupção, desemprego, imoralidade, violência e insegurança, que atingem a todos nesta nação; como cristãos evangélicos e, portanto, conscientes de que as regras áureas que norteiam nossas vidas e de nossas famílias emanam das Escrituras Sagradas, fonte inesgotável de conhecimento que produz plenitude individual e coletiva, nos posicionamos através desta carta.
  • HOJE, como APEP – Associação de Pastores Evangélicos da Paraíba –, instituição religiosa, que representa os pastores evangélicos em nosso Estado, tendo em nosso quadro, pastores com tendências políticas diversificadas, mas comprometidos com o bem espiritual, emocional, social/econômico e familiar de um grande rebanho, tomamos a decisão de tornar público nossos pensamentos e sentimentos acerca de todo este contexto em que estamos inseridos.

NOSSO SINCERO RECONHECIMENTO
Que, mesmo neste quadro, ainda podemos  ver  práticas positivas em andamento em nossa abençoada nação, como:
a) O trabalho sério realizado pela Polícia Federal;
b) O trabalho excelente desenvolvido pelo Ministério Público Federal;
c) O trabalho exemplar que vem sendo realizado pela Operação Lava Jato;
d) O crescimento acentuado na politização da população brasileira;
e) A existência de igrejas, associações e outras organizações cristãs que têm sido abençoadoras e transformadoras na vida social e espiritual desta nação;
f) A presença de homens e mulheres que, com dignidade e ética, mesmo diante deste quadro de corrupção, têm desempenhado suas funções de modo correto e justo;

 NOSSAS AFIRMAÇÕES DIANTE DESTA REALIDADE

a) Afirmamos que, no temor do nosso Deus, propomo-nos a continuar obedecendo as Leis Constitucionais do nosso país;

b) Afirmamos que, como princípio de confissão da fé cristã evangélica, seguimos a obediência aos valores inegociáveis da Palavra de Deus, nossa única Regra de Fé e Prática;

c) Afirmamos, com reverência e submissão ao Senhor, a nossa indignação quanto ao comportamento de alguns líderes religiosos que têm causado danos sociais e espirituais à nação, através de suas atitudes, tanto na prática moral quanto religiosa que envergonham a igreja de Deus;

d) Afirmamos que o abandono dos valores morais e bíblicos têm levado a nação brasileira a mergulhar num estágio de depravação nas áreas de comportamento familiar, de sexualidade, de ética e justiça, que poderá nos tornar semelhantes a algumas culturas que foram destruídas por perderem estes princípios e o temor a Deus;

e) Afirmamos que, mesmo a despeito das não poucas falhas do sistema eclesiológico da igreja brasileira, a comunidade evangélica tem procurado se envolver com a formação espiritual e cidadã desta nação, no respeito às suas leis, na prática da justiça, na busca pela santidade e na proclamação das verdades do Evangelho.

f) Afirmamos que, diante deste quadro preocupante e desfavorável ao progresso de um país, entendemos que o Brasil precisa, URGENTEMENTE, de uma reforma política, jurídica e social que traga benefícios práticos nas áreas da educação, segurança e saúde, para todos.

NOSSAS REAIS EXPECTATIVAS

a) Que haja uma séria aplicação das leis da nação para todas as pessoas em todas as funções, e que as autoridades sejam obedientes aos preceitos constitucionais, no cumprimento de suas atribuições com lisura, seriedade e responsabilidade, mantendo-se afastadas dos constantes convites à prática nefasta da corrupção que tanto tem denegrido a imagem desta nação;

b) Que aconteça uma retomada de todos os valores morais e éticos na vida de todos os cidadãos brasileiros;

c) Que se estabeleça um cuidado constante e uma busca na preservação dos valores familiares conforme a Constituição e a Palavra de Deus;

d) Que se busque, imediatamente, o restabelecimento da segurança da população, através de políticas públicas comprometidas com o bem-estar das pessoas;

e) Que haja um real esforço pela recuperação no estabelecimento de um sistema de saúde que atenda as pessoas de modo mais humanitário;

f) Que as autoridades estabeleçam um real esforço pela reestruturação do Sistema de Educação do país, com a valorização do professor e do aluno, como elementos importantes para o equilíbrio e progresso educacional da nação;

g) Que todos nós brasileiros nos empenhemos com o resgate do verdadeiro patriotismo, na valorização das instituições desta nação, bem como do povo que nela habita;

h) Que cada cidadão assuma a sua responsabilidade moral, social e política, de maneira que se torne um elemento transformador desta realidade caótica em que vivemos.

NOSSAS PROPOSIÇÕES CRISTÃS

Quanto às ações práticas que desenvolveremos como povo de Deus, nós, pastores Evangélicos da Paraíba, nos comprometemos:

a) Continuar, com seriedade e responsabilidade, o nosso papel pessoal no resgate dos valores morais e espirituais desta nação;

b) Usar o nosso Púlpito, para anunciar, através da Palavra de Deus, os reais valores éticos do Reino de Deus, para a formação espiritual, moral e ética de nossos rebanhos;

c) Iniciar, de uma maneira mais efetiva, no Estado da Paraíba, um sério Movimento de Oração Intercessória em favor desta nação, especialmente, como manda a Palavra de Deus, em favor das autoridades constituídas;

d) Incentivar aos membros de nossas comunidades que, em obediência aos princípios de justiça estabelecidos na Palavra de Deus, procurem desenvolver uma verdadeira Participação Cidadã na cooperação para o fortalecimento social, político, moral e espiritual desta nação;

e) Elaborar, diante dos desafios atuais, ou mesmo de outros que venham a surgir, Atividades de Mobilizações em que nós, pastores, bem como nossas comunidades, possamos exercer, de modo proativo, tanto para com as autoridades como para com a sociedade em geral, o verdadeiro papel de Sal da Terra e Luz do Mundo;

f) Acompanhar, com mais cuidado e mais proximidade, o trabalho de nossas autoridades constituídas, oferecendo-lhes o apoio que se fizer necessário, quando os projetos visarem ao bem social, bem como fazendo as cobranças necessárias quando essas atividades estiverem se desviando de suas funções essenciais.

 

Por: Gomes Silva
Redação: Consciência Cristã News

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentários do Facebook